Problemas de CRISE DE ANSIEDADE, o que fazer?

Problemas de CRISE DE ANSIEDADE, o que fazer?
Apesar de muitas pessoas sofrerem com a ansiedade nos dias de hoje, nem todas desenvolvem as crises de ansiedade, ou ataques de pânico. A crise de ansiedade é algo mais sério e muito mais intenso.
A pessoa que sofre de crise de ansiedade sente que as sensações de angústia e insegurança atingem um nível tão alto dentro delas, que acabam entrando em total descontrole, passando a crer que algo de muito ruim acontecerá com ela, ou até mesmo com as pessoas que ela ama.
Se você estiver passando por uma crise de ansiedade, lembre-se de que se trata de um mecanismo de defesa do seu organismo e que não é consciente.
Porém, existem alguns métodos que você pode tentar seguir durante uma crise, como exercitar técnicas de relaxamento, como a meditação. Exercitar técnicas para distração, como escutar uma música suave, massagear regiões do corpo que produzem relaxamento ou focar em palavras positivas que te acalmem; e controlar a respiração.
Controlar a respiração em um momento de grande tensão como o de uma crise de ansiedade é de grande importância. Respire sem pressa, inspirando e expirando bem lentamente. Após sentir que sua respiração está controlada, tente relaxar os músculos mais tensos.
Comece pelo rosto, siga pela nuca e pescoço, desça para ombros e tórax. Continue até sentir que todo seu corpo está mais relaxado. Outro passo importante é buscar um lugar que seja agradável, com boa ventilação e com uma vista bastante ampla.
Evite lugares abafados e fechados. Se possível, afrouxe suas roupas para que se sinta mais confortável. Uma vez que o medo é um dos principais causadores do pânico, é muito importante que os pensamentos durante um ataque sejam controlados.
Não é uma tarefa fácil, uma vez que a mente acredita que algo muito ruim irá acontecer, esses pensamentos podem variar fazendo com que a pessoa passe a acreditar que tem uma doença muito grave ou até mesmo de que irá morrer.
Nesses momentos, é importante tentar ter consciência de que você está passando por uma crise de ansiedade da qual não se tem controle, mas que logo irá passar.
Tente manter em sua mente pensamentos positivos como de que nenhum mal irá acontecer com você ou de que você já foi capaz de passar por situações piores das que vive agora e que por isso, passará por essas também. A chave é tentar aprender com o medo ao invés de apenas sentir medo.
As medidas apresentadas são imediatas e paliativas. O mais importante é que, se você sofre de crises de ansiedade, procure um especialista para te ajudar, pois muitas vezes é necessário o uso de medicamentos para tratar adequadamente um quadro de pânico.

Crise de ansiedade tem cura?

Felizmente hoje já existem alguns tratamentos que ajudam a sanar as crises de ansiedade. Para esses casos, médicos recomendam que os pacientes façam o tratamento à base de medicamentos e/ou com o acompanhamento de um psicólogo. É importante ter em mente que será preciso tempo para que o tratamento tenha sucesso, por isso, tenha paciência.

Quais os principais sintomas da crise de ansiedade?

Mesmo que na maioria das vezes as crises de ansiedade sejam relacionadas com estresse ou acontecimentos traumáticos, também é possível que ocorram em situações de calma.
Quando o ataque ocorre, o principal sentimento que é despertado na pessoa é o medo.  Abaixo montamos uma lista com alguns dos sintomas que uma pessoa que sofre de crise de ansiedade pode apresentar.
Tudo tem perigo: As pessoas que sofrem com crises de pânico têm como tendência superestimar o perigo. É natural sentir medo, mas quando o medo passa a ser excessivo e muitas vezes irracional, esse pode ser um sintoma de crise de ansiedade.
Passa a comer mais: Muitas pessoas buscam conforto emocional na comida e na maioria das vezes passam a comer em maior quantidade, quase sem mastigar ao engolir o alimento. Acreditam que ao consumir doces ou alimentos menos nutritivos aliviarão a tensão pela qual estão passando. Porém, é preciso ficar alerta. Comer em excesso, mesmo sem fome, por conta de estresse ou alta ansiedade pode ser um dos sintomas de crise de pânico.
Dificuldade para dormir: A pessoa que sofre de crise de ansiedade tem dificuldades para manter uma boa noite de sono. Isso pois muitas vezes não conseguem desligar suas mentes dos problemas do dia a dia. Passam a ter insônias em vésperas de reuniões ou eventos de grande importância, passam a noite pensando no trabalho que fizeram ao longo do dia, no que poderiam ter feito melhor, ou tentam organizar em suas mentes o que farão no dia seguinte. Algumas vezes a dificuldade para relaxar é tão grande que chegam a sonhar com os problemas e possíveis soluções referente a algum assunto específico.
Dores musculares: Os transtornos de ansiedade muitas vezes são acompanhados por tensões musculares quase que constantes. Pessoas que sofrem com os ataques estão sempre com dores nas costas, ombros ou nuca e quanto maior é a sua preocupação ou desanimo, maiores serão as chances de as tensões serem transferidas para a região cervical.
Medo de falar em público: Quem sofre de ataques de ansiedade costuma apresentar sinais como mãos geladas, suor excessivo, taquicardia, falta de ar e respiração ofegante apenas ao pensar na necessidade de realizarem uma apresentação em frente a uma plateia.
Preocupação em excesso: São pessoas que pensam mais no futuro do que no presente. Estão sempre preocupadas. Preocupadas se conseguirão superar as crises, se continuarão empregados, se terão dinheiro para pagar as contas no fim do mês, se terão condições de sustentar e cuidar de sua família.
Muitas vezes não conseguem relaxar e aproveitar o que conseguiram conquistar até o momento. Essa preocupação constante pode gerar dores de cabeça, ansiedade, estresse, úlceras e até afetar o seu sistema imunológico.
Possibilidade de um ataque de nervos: Pessoas que estão prestes a ter um ataque de nervos podem passar de grande alegria para o choro rapidamente. São mais irritadas, sofrem com mudanças de humor repentinas. Geralmente os sintomas aparecem quando enfrentam momentos de maior pressão e estresse.
Medos irracionais: Um dos principais sintomas de quem sofre com ataques de pânico é o medo irracional. Estão sempre com medo de algo. Medo de não serem bons o suficiente, medo de fracassar, de ficarem sozinhos, de estarem perdendo algo. Se autocriticam demais. Esse excesso de medo pode acabar comprometendo sua vida profissional e familiar.
Inquietação constante: Sentem inquietação constante, fadiga e dificuldade de concentração. Sofrem de angústia e tem dificuldade para ficarem quietos, andam de um lado para o outro e podem acabar se desesperando. Todos esses fatores dificultam a execução de tarefas do dia a dia, afetando assim a qualidade de vida da própria pessoa, ou até das pessoas que estão ao seu lado.
Sofrem com sintomas físicos: Algo que pode acontecer durante os momentos de ansiedade são os sintomas físicos como cansaço, tremores, sensação de falta de ar ou asfixia, suor excessivo, mãos frias, coração acelerado, tontura, boca seca, náuseas, desconforto abdominal, diarreia, ondas de calor, calafrios, dificuldade para engolir.
Pensamento obsessivo: Trata-se da incapacidade de controle sobre pensamentos e imagens angustiantes e recorrentes. Estudos indicam que o pensamento obsessivo está ligado a uma disfunção neurológica de causa desconhecida, que faz com que os pensamentos aconteçam de maneira repetitiva.
Perfeccionismo: O perfeccionismo pode estar fortemente ligado ao medo de errar, pois as pessoas perfeccionistas estabelecem altos padrões e sofrem com a busca constante por alcança-los. Como a perfeição é algo muito difícil de se conseguir, essas pessoas geralmente acabam sofrendo com ansiedade, infelicidade e insatisfação crônica.
Problemas digestivos: O estresse e ansiedade afetam também o sistema gastrointestinal. Como resultado dessas alterações gastrointestinais, é possível que surjam úlceras, gastrite, doenças inflamatórias, má digestão, dores, diarreia, azia, refluxo e síndrome do intestino irritável.
Lembramos que não é necessário que apareçam todos os sintomas citados para ser caracterizado como uma crise de ansiedade. Pode ser que, junto com o medo, apareçam mais quatro dos sintomas listados.
Todos esses sintomas começam abruptamente e não têm controle. Não existe uma duração específica para uma crise, tudo irá depender da maneira que cada pessoa reage, porém, geralmente podem variar de 10 a 30 minutos.
Como vimos, existem muitos sintomas que podem ser causados por crises de ansiedade e eles podem ser divididos em dois grupos: os sintomas mentais e os sintomas físicos.

Sintomas mentais

Dentre os sintomas mentas podemos encaixar:
  • Medo excessivo.
  • Busca de conforto emocional na comida.
  • Insônia (quando a pessoa se concentra em seus problemas ou no que tem que fazer no dia seguinte e tem dificuldades para dormir).
  • Medo de falar em público.
  • Preocupação em excesso.
  • Estresse.
  • Irritação.
  • Mudanças de humor repentinas.
  • Constante inquietação.
  • Dificuldade de concentração.
  • Pensamentos e imagens angustiantes recorrentes.

Sintomas físicos

No caso dos sintomas físicos podemos citar:
  • Dores musculares.
  • Mãos geladas e suadas.
  • Suor excessivo.
  • Taquicardia.
  • Falta de ar e respiração ofegante.
  • Dores de cabeça.
  • Úlceras.
  • Risco de afetar o sistema imunológico.
  • Cansaço e fadiga.
  • Tremores.
  • Boca seca.
  • Coração acelerado.
  • Tontura.
  • Náuseas.
  • Desconforto abdominal.
  • Diarreia.
  • Ondas de calor e calafrios.
  • Dificuldade para engolir.

Crise de ansiedade generalizada e como controlar

A crise de ansiedade generalizada é o tipo mais comum e é caracterizado por uma preocupação excessiva e persistente sobre uma série de coisas diferentes. Se preocupam com seu trabalho, família, saúde, dinheiro entre outros assuntos.
Esse transtorno é diagnosticado quando a preocupação excessiva ultrapassa o período de 6 meses e tem três ou mais sintomas.
Para controlar a ansiedade generalizada, uma boa dica é buscar controlar a respiração, seja através de exercícios de meditação ou yoga e manter a mente voltada à pensamentos positivos.

Existe crise de ansiedade durante o sono?

Sim, a crise de ansiedade durante o sono pode existir e quando acontecem, parecem ter maior duração e níveis de ansiedade mais altos.
O pânico noturno acontece principalmente durante as fases de sono lento. A pessoa acorda subitamente sentindo grande medo ou terror e por conta disso não é incomum que ela passe a sentir medo de dormir o que pode causar a privação crônica do sono.
Apesar de poderem ser semelhantes aos terrores noturnos, apneia do sono ou até mesmo perturbações do sono por conta de pesadelos, as crises de ansiedade durante o sono são clinicamente distintas.

Como tratar a crise de ansiedade?

Se você sofre com crises de ansiedade, o melhor que tem a fazer é buscar a ajuda de um profissional. Encontre um psicólogo que te ajude a encontrar as causas desse problema e a solucioná-lo.
Na maioria das vezes eles treinarão sua mente para não valorizar tanto os eventos traumáticos, evitando assim que sejam criadas reações involuntárias como o medo desnecessário.
Mesmo com a ajuda profissional, existem outros fatores que poderão te ajudar a diminuir a ansiedade, podendo assim, evitar as crises.
Entre eles podemos citar a pratica de atividades físicas, de meditação, ouvir músicas – sejam músicas tranquilas e relaxantes ou até mesmo para extravasar o estresse e manter uma alimentação saudável.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.